ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Série Avante: Maria Luz Casalecchi e o amor difícil de domar

11 DE NOVEMBRO DE 2020 - ATUALIZADA EM 12 DE NOVEMBRO DE 2020 | Redator: Pedro Henrique Krüger/ABCCC

O Setor de Comunicação da ABCCC apresenta a segunda temporada de Avante, uma série especial que mostra a história e os objetivos dos campeões das diferentes categorias do Rédeas de Ouro 2019, com foco na preparação para a nova edição que se avizinha em Esteio/RS*, de 7 a 12 de dezembro de 2020.


♞♘♞


A modalidade de rédeas está fundamentada no adestramento. É uma prova que serve de base e suporte para muitas outras. Para cumprir competitivamente todas as etapas de um percurso do Rédeas de Ouro (como o de número 14 utilizado pela categoria Iniciante Amador, por exemplo) é preciso formar alianças.

Na vida de Maria Luz Casalecchi, essa tarefa de prospectar apoio e união foi um pouco mais espontânea. Os aliados - na figura de seu pai e treinador Laércio Casalecchi e de sua mãe e médica veterinária Fernanda Luz Casalecchi - sempre estiveram ao seu lado. Com um time formado desde os seus primeiros momentos neste mundo, restou à Maria encontrar o seu parceiro de pista, com o qual dividiria a missão.

Um Crioulo lobuno chamado Forró do ELS, filho de Bolero Gravatá e Barcaça do Alto do Paraíso, respondeu ao chamado. Com ele, Maria Luz Casalecchi foi campeã Iniciante Amador com 210 pontos, em 2019. “Eu estava muito animada e positiva! Me concentrei muito nos treinos e procurei me encaixar ao máximo com meu cavalo”, revelou. Essa conexão, que foi capaz de cumprir o trajeto do Percurso 14 e ainda desenhar um caminho até o pódio, parece indicar que a história não terminou na edição passada.

“Pretendo participar [do Rédeas de Ouro 2020] e estou mais animada do que nunca, mas dessa vez me apresentarei no Principiante Amador. Volto, sim, com meu querido Forró do ELS. Não tinha como o deixar em casa, afinal... ele é a minha dupla”, enfatizou a campeã. Apesar de existir essa aliança essencial, cuja fidelidade está fundamentada também na família, é preciso haver trabalho para conquistar e levantar o troféu.

O calendário pode ser um dos inimigos dessa preparação, ainda mais para uma cavaleira que segue os passos da mãe e cursa medicina veterinária na UniPinhal, em Espírito Santo do Pinhal/SP, sua cidade natal. “Nem sempre tenho tempo disponível e, com essa rotina, acabo treinando eventualmente o ano todo, mas quando as provas estão se aproximando me dedico ao treino diário”, ponderou.

O sentimento de estar na pista compensa. “A rédeas é a dona das minhas melhores emoções. Particularmente não sei como demorei tanto para começar. A cada passo que dou nessa trajetória me mostra que os cavalos despertam na gente um amor difícil de domar! E, sem sombra de dúvidas, o maior presente dado por essa modalidade incrível é o companheirismo e a união com a minha família. Deus me abençoou muito e eu não poderia ter nascido em uma família melhor”, reconheceu.

Com tantos aliados, Maria Luz Casalecchi ironicamente deu forma e cor a um desafio ainda maior: o amor difícil de domar.

AVANTE, MARIA!


Com Movimiento a La Rienda, Rédeas de Ouro 2020 acontece de 7 a 12 de dezembro
A maior prova de rédeas de uma só raça no Brasil acontece no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS*, e com novidades: a premiação do Snaffle Bit será igualada à do Potro do Futuro e está confirmada a 2ª edição da Mapuche Reining Cup.

 

*Por conta da pandemia de Covid-19, o local da final foi alterado para o Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS. As datas foram mantidas.