ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Conheça o grupo que forma a Comissão de Provas Funcionais 2020-2022

16 DE OUTUBRO DE 2020 - ATUALIZADA EM 16 DE OUTUBRO DE 2020 | Redator: Redação ABCCC

O planejamento e o trabalho em equipe são requisitos fundamentais para manter a envergadura, o crescimento do Cavalo Crioulo e os eventos com o padrão de  qualidade da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), ano após ano. O debate, o saber ouvir e o refinamento de ideias permeiam o dia a dia dos membros da Comissão de Provas Funcionais (CPF) em conjunto com os demais integrantes da estrutura administrativa da Associação.

 

É o que explica o atual presidente da CPF (que assume o posto automaticamente em razão de ser o vice-presidente de Exposições e Provas Funcionais), Eduardo Moglia Suñe. “Nossa comissão tem a responsabilidade de organizar todos os eventos (provas) oficiais da nossa raça, sejam eles seletivos ou esportivos. São várias comissões sob o ‘nosso guarda-chuva’, pois todas elas têm as suas subcomissões, que têm seus presidentes convidados por nós, e eles (presidentes) têm a responsabilidade de formar os seus grupos”, explicou.

 

Com tantas pessoas envolvidas por um mesmo ideal, o resultado natural é a união de forças. “Estamos prontos para esse desafio que é enorme, mas juntamente com os membros da nossa comissão e com os integrantes de todas as subcomissões e seus presidentes, temos a certeza que faremos o trabalho que a raça merece. Daremos sequência ao belo trabalho que vinha sendo realizado, sempre focados em melhorias e na qualidade de tudo o que se refere ao crescimento da nossa raça e da nossa ABCCC”, projetou.

 

Além do presidente Eduardo Moglia Suñé, o time da CPF é formado pelo vice-executivo Eduardo Neto de Azevedo, acompanhado por outros cinco membros, que você conhece individualmente a seguir.

 

COMISSÃO DE PROVAS FUNCIONAIS 2020-2022:

 

Eduardo Moglia Suñé, presidente da Comissão de Provas Funcionais

O ex-presidente da ABCCC, criador da raça, jurado e integrante de diversas gestões da Associação, ocupa automaticamente o cargo na comissão em virtude da posição de vice-presidente de Exposições Morfológicas e Provas Funcionais (clique aqui para saber mais sobre a trajetória de Eduardo Móglia Suñe no material que apresenta a diretoria executiva)

 

Eduardo Neto de Azevedo, vice-executivo
Oriundo de uma família ligada ao Cavalo Crioulo, Eduardo de Azevedo tem em sua trajetória um Freio de Ouro conquistado como ginete em 1996 com o cavalo Debochado do Quartel Mestre. Dentro da ABCCC, foi vice-presidente de Eventos na gestão 2016-2018, além de possuir uma ampla experiência de quase uma década com a Comissão de Provas Funcionais.

 

André Luiz Narciso Rosa 

Apesar de ser natural de Curitiba/PR, reside a vida toda em Santa Catarina. Por ser de uma família vinculada ao agronegócio, possui uma ligação permanente com o campo. O seu maior contato com a raça Crioula iniciou em 1988, quando passou a ser criador. Na ABCCC, é jurado desde o ano 2000. A gestão 2020-2022, inclusive, será a primeira diretoria na trajetória de André Luiz Narciso Rosa, que é formado em Administração de Empresas. 

 

Ibsen Pacheco Votto 

Natural de Pelotas/RS, o médico veterinário e ferrador por formação construiu uma relação marcante com a ABCCC ao gerenciar por nove anos o Setor de Eventos, Técnico e de Relacionamento com os Núcleos, de 2010 a 2019, desempenhando um papel de grande relevância para o fortalecimento do Cavalo Crioulo, área na qual também atua como criador.

 

Luis Augusto Weber

Natural de Carazinho/RS, é criador desde 1995 e participa das diretorias da ABCCC desde o ano 2000, atuando em diferentes cargos e comissões. Presidiu também por duas vezes o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos do Planalto 4ª Região. Profissionalmente, é engenheiro agrônomo e produtor rural.

 

Luiz Martins Bastos Neto

Natural de Uruguaiana/RS, é criador de Cavalos Crioulos há quase 50 anos, tradição de vem de família sempre presente na história da raça. Na ABCCC, foi quatro vezes membro do Conselho Deliberativo Técnico (CDT) e duas vezes presidente do CDT, além de ter sido vice-presidente da pasta Técnica entre 2016 e 2018. Agora retorna para ser integrante da Comissão de Provas Funcionais. É médico veterinário formado pela PUC e administrador de empresas familiares rurais.

 

Thiago Schilling de Ávila

Natural de Campo Bom/RS, o jurado da raça Crioula desde 2011 continua nesta gestão como membro da CPF, função que também ocupou na gestão 2018-2020. Além de ter julgado o Freio de Ouro em 2016, 2018 e 2020, é pecuarista e cria Cavalos Crioulos desde 2001. Atualmente, sua criação é feita em Aceguá/RS.