ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Cavalo Crioulo no pódio em prova hípica de Jaguariúna

04 DE JUNHO DE 2021 - ATUALIZADA EM 04 DE JUNHO DE 2021 | Redator: Leonardo Silva/ABCCC

Peça fundamental na lida do campo, o Cavalo Crioulo vem mostrando sua versatilidade ao longo dos tempos. Na atualidade, prova toda a sua potência e rusticidade em provas que acontecem em todo o mundo. Em solo nacional, o cavalo também se destaca ao lado de crianças, em mais uma modalidade. 

 

Realizada pela Hípica Jaguariúna, no centro de treinamento em Jaguariúna/SP, o Concurso Escolas do Interior teve a sua primeira etapa realizada no dia 15 de maio de 2021, levando cerca de 21 conjuntos à pista. Na categoria Aspirante, com obstáculos de 40 centímetros, Querosene do Lucero, carinhosamente chamado de Óreo, fez história ao lado de Luara Prato Santi, de apenas 10 anos, que levou para casa a segunda colocação na competição.

 

 

Apaixonada pelo esporte desde os 5 anos, Luara ingressou no hipismo no início de 2020 e desde então vem se dedicando a modalidade em nível competitivo. Com uma rotina de treinamento, a pequena cavaleira conta como foi participar da prova e subir ao pódio nas primeiras colocações. “Quando conheci o Óreo senti uma conexão. A partir dali começamos os treinamentos e aos poucos fui me sentindo mais confiante ao lado dele. Essa foi a minha primeira experiência competitiva e eu só consegui chegar ao segundo lugar graças à amizade e à confiança que tenho no Óreo. Depois dessa vitória o meu objetivo é correr mais provas ao lado dele, treinar muito e, no futuro, me tornar uma campeã olímpica de salto”, revela. 

 

Com um histórico de mansidão e lida com crianças, Querosene do Lucero é propriedade de Eduardo Rezende e foi adquirido no Centro Hípico RA, de São Bernardo/SP. Tendo contato com a raça através do irmão, Marcelo Rezende (afixo Santa Helena), Eduardo se impressiona com o potencial do seu primeiro Cavalo Crioulo. “Com o início da pandemia eu estava atrás de um cavalo de montaria para minhas filhas, Duda de 4 anos e Gabriela de 7 anos, para que elas mantivessem o contato com esporte e com a natureza. Quando elas conheceram o Querosene elas adoraram, tanto que apelidaram ele de Óreo, e eu achei ele muito rápido, obediente e corajoso, fiquei tranquilo para que elas pudessem treinar salto com ele. O desempenho dele na prova só trouxe alegria e o objetivo agora é fazer com que Óreo continue o esporte ao lado dos alunos do Centro Hípico de Excelência Serrazul, onde é treinado e que traga ainda muitas conquistas”, finaliza.