ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

A pista de Esteio é dos campeões e o Inclusão de Ouro mostra o porquê

28 DE NOVEMBRO DE 2020 - ATUALIZADA EM 28 DE NOVEMBRO DE 2020 | Redator: Redação ABCCC

Não há barreiras que não possam ser rompidas se houver Cavalo Crioulo. Ano a ano, essa afirmação ganha envergadura diante das dificuldades, como a atual pandemia. Na modalidade Inclusão de Ouro não é diferente. Na verdade, aliás, o espírito de luta é uma tônica. Essa coragem mais uma vez entrou na pista dos campeões de Esteio/RS, na noite deste sábado (28), com a presença de 9 conjuntos habilitados à segunda final oficial do Inclusão de Ouro da ABCCC.

O ciclo foi capaz de promover classificatórias nas cidades de Arroio Grande/RS, Esteio/RS e Rio de Janeiro/RJ, das quais saíram os conjuntos que disputaram a final. A dupla de jurados foi formada por José Francisco de Moura e Mário Moglia Suñe.

Na Força A, Ítano Kelvin Pereira Figueiredo com El Barquero 33 Chubut foi bicampeão do Inclusão de Ouro com 44,300. Após a premiação, o campeão disse acreditar que a modalidade nunca parará de crescer. “Pra nós é uma alegria muito grande a proporção que está tomando, mesmo com toda essa pandemia este ano, a gente conseguir fazer a nossa final e ter nove participantes já é um grande prêmio pra nós”.

Na Força B, o primeiro lugar ficou novamente com a coordenadora da Subcomissão do Inclusão de Ouro e agora bicampeã, Josilene da Silva Martins, montando Caduco Cala Bassa. “Estar no palco maior da raça, poder terminar o ciclo e saber que a nossa modalidade tem aceitação, tem essa vibração do público e essa torcida, é o que vale a pena, é o que faz a gente trabalhar pra estar aqui e evoluir a cada ano”.

A prova
A primeira fase da Força A é composta por uma etapa de andadura e, na segunda fase, por uma de escaramuça livre de 40 segundos. Já a terceira fase é uma figura. Em relação aos competidores da Força B, estão isentos de penalizações e realizam uma andadura e uma escaramuça livre. Dentro da pista é permitida a presença de treinadores ou guias, além de ser obrigatória a presença de quatro pessoas montadas nas extremidades demarcatórias da pista e quatro a pé, intercaladas, para que ajam se houver alguma emergência.

Resultado (ainda não homologado pela ABCCC):

FORÇA A

1º lugar
Ítano Kelvin Pereira Figueiredo montando El Barquero 33 Chubut
Média final: 44,300

2º lugar
Fábio Santos dos Santos montando Huarê do Parque
Média final: 36,400

3º lugar
Gabriel Paiva dos Santos Alfaro montando Petala do Liscano
Média final: 33,600

4º lugar
Dionatan Braz Martins montando Palermo da São Clemente
Média final: 31,700

FORÇA B

1º lugar
Josilene da Silva Martins montando Caduco Cala Bassa
Média final: 23,000

2º lugar
Hugo Pereira Antonino montando Conquista do Camboatá
Média final: 21,850

3º lugar
Luciano Silva Freitas montando El Gladiador 43 do Cerro Velho
Média final: 21,800

4º lugar
Marcio de Azevedo Velho montando Atlas do Pampa Livre
Média final: 20,200

Menção Honrosa
José Henrique Machado de Lima montando Capão Extremidade
Média final: 20,175