ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Conheça o time da Subcomissão da Campereada/Team-penning

10 DE NOVEMBRO DE 2020 - ATUALIZADA EM 10 DE NOVEMBRO DE 2020 | Redator: Redação ABCCC

A modalidade que busca demonstrar a capacidade e funcionalidade do Cavalo Crioulo na rotina da vida do campo, reunindo famílias e amigos, tem um novo time à frente da sua Subcomissão. Composta por integrantes diretamente envolvidos com a dinâmica da prova e suas particularidades, conheça o perfil de cada um.

 

 

Telmo Oliveira Peixoto (coordenador)
Um dos proprietários da Cabanha Tarumã, em Júlio de Castilhos/RS, Telmo Oliveira Peixoto que segue os passos da família na criação iniciada há 81 anos pelo avô Luiz Antero de Campos Peixoto. Telmo é jurado da raça Crioula desde 2011 e, hoje, assume a coordenação da subcomissão da Campereada-Team Penning - modalidade na qual compete há muitos anos ao lado da família, sempre marcando presença nos pódios.

André Luiz Vaz Machado
Além de 1º Secretário da Diretoria Executiva, também vai integrar o time da subcomissão da Campereada Team-Penning. Natural de Bagé/RS, mas residente do estado do Rio de Janeiro, atualmente é criador de Cavalos Crioulos na Cabanha Don Diló, localizada em Cachoeiras de Macacu/RJ, e um grande incentivador da raça na região de expansão, fruto de seu envolvimento com o Cavalo Crioulo há mais de 35 anos. Participou da composição de gestões anteriores como diretor de Núcleos da Região 8 e também foi fundador (e atual presidente) do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Vilson Chalart de Souza. Além da participação junto à raça, é empresário e diretor de uma empresa com atuação na área de oceanografia ambiental.


Amilcar Pereira Rêgo
Criador de Cavalos Crioulos e sócio da ABCCC desde 1990, Amilcar é produtor rural ligado à pecuária e tem a criação familiar voltada à produção de animais para uso no serviço de campo - por isso a identificação com a Campereada. Há mais de 15 anos na competição e depois de quatro anos consecutivos integrando a subcomissão, Amilcar acredita que a Campereada é grande porta de entrada para novos criadores e usuários da raça, pois não é exigente em termos de equitação e preparo do cavalo.

Galeno Barros
Advogado, produtor rural e criador de Cavalo Crioulo, Galeno iniciou sua relação com a raça através do laço e, depois, com a Campereada, em 2010. Com o objetivo de aumentar principalmente o esporte do Crioulo em Júlio de Castilhos, local onde já esteve à frente da diretoria do Núcleo, sempre marcou presença nas disputas, chegando todos os anos às finais - exceto em um único ano em que atuou como jurado. Na subcomissão há duas gestões, Galeno busca fomentar a Campereada.

João Vitor Claus Dutra
Competidor e campeão não só da Campereada, mas também de outras modalidades da raça, João Vitor Claus Dutra é um dos integrantes da subcomissão que enxerga a Campereada diretamente da pista de competição. Sua relação com a raça crioula vem de berço e abrange todas as áreas da vida - do lazer ao trabalho - participando de todas as oportunidades que pode, inclusive formando trios com seu pai e filho - três gerações de apaixonados pelo Cavalo Crioulo. João Vitor Claus Dutra têm como objetivo sempre utilizar os cavalos da sua marca (Cabanha Morada Nova, de Capivari do Sul), domados por eles, vivenciando o Cavalo Crioulo em todas as suas esferas e potencialidades.

Leandro Rumpel
Natural e residente de Santa Rosa/RS, é médico ortopedista formado em Porto Alegre e pai de dois filhos. Mesmo não crescendo em uma família ligada ao agro, sempre gostou de cavalos e teve contato com a lida através dos tios que tinham fazenda em Cacequi e Bossoroca. Leandro começou a correr Campereadas em 2010-2011, convidado e influenciado por um primo, veterinário e também apaixonado pelo Cavalo Crioulo e, a partir daí, nunca mais parou. Foi presidente do Núcleo do Noroeste Gaúcho na gestão 2018-2020, é um incentivador das provas para usuários do cavalo, já correu Freio do Proprietário, Campereadas e Paleteadas, Laço e outras provas campeiras. Atualmente reside na área rural próximo da cidade, onde consegue ter contato diário com os cavalos.