ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Inclusão de Ouro chega ao Rio de Janeiro no ciclo 2020

04 DE OUTUBRO DE 2019 - ATUALIZADA EM 08 DE OUTUBRO DE 2019 | Redator: Marina Bonati/ABCCC

Com o sucesso do primeiro ciclo da Inclusão de Ouro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), em 2019, fazer parte do time de competidores da modalidade oficial da raça Crioula tornou-se um objetivo em comum entre muitas Pessoas com Deficiência (PCD) que utilizam o cavalo como um aliado ao desenvolvimento da mente e do corpo através da equoterapia. E esse caminho de oportunidades chegou ao Rio de Janeiro, mais especificamente na Fazenda Boqueirão, de propriedade da criadora Flávia Araripe. Na tarde da última quinta-feira, 2 de outubro, a Fazenda recebeu 3 candidatos à próxima prova da Inclusão, que já está marcada para acontecer durante a programação da Credenciadora Mista ao Freio de Ouro, no dia 3 de novembro, em Sapucaia - no estado do Rio de Janeiro.

 


Os três candidatos - dos 8 prováveis participantes - são integrantes do Centro de Equoterapia de Petrópolis, e estabeleceram o primeiro contato com o Cavalo Crioulo, por meio de LAA Cariucha - égua da Fazenda Boqueirão que já correu credenciadora ao Freio de Ouro e será, inclusive, disponibilizada para participação no ciclo. Veja na imagem o psicólogo do Centro de Equoterapia, Fernando Sodré, que aparece instruindo os candidatos em seu primeiro treino, podendo avaliar as condições de cada pessoa para participar das etapas que envolvem a prova.

 


“Foi emocionante receber essa turma lá em casa e é impressionante ver a conexão que se desenvolve entre essas pessoas e os cavalos. Acredito que isso seja baseado na confiança, pois é uma conexão que se dá muito rápida. É muito bonito de ver”, ressaltou Flávia, que também selecionou outros dois cavalos para serem doados à competição. Ao longo dos próximos dias, mais candidatos serão recebidos por Flávia e a programação será divulgada em breve. Mas ela já adianta: vocês vão conhecer o Hugo, estudante de zootecnia que perdeu a visão aos 3 anos, mora sozinho há 6, cozinha, passa roupa e não só monta a cavalo como salta obstáculos”, conta. Histórias que teremos a honra de conhecer e compartilhar durante o ciclo 2020.