PERSONALIZE
ÁREA RESTRITA

16 DE MAIO DE 2017 - ATUALIZADA EM 16 DE MAIO DE 2017

Esclareça suas dúvidas sobre a Admissão Veterinária

Já são três meses de implementação da Admissão Veterinária em provas da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). Inaugurado no ciclo 2017, a medida estabelecida pela Subcomissão de Bem-Estar Animal, em parceria com a de ginetes, garantiu um salto muito importante em relação à proteção dos animais competidores. No entanto, por ser um processo novo, pode gerar dúvidas aos criadores. Assim, foram selecionados os principais questionamentos que chegam à equipe da admissão para que possam ser sanados.

 

O que é a admissão veterinária?

É a etapa de avaliação feita por profissionais para garantir que o animal participante da prova oficial da ABCCC entre em plena condição em pista.

 

Em quais eventos da ABCCC ela é realizada?

Atualmente está prevista nas classificatórias e finais do ciclo Freio de Ouro.

 

Como funciona o processo?

Após passar pela avaliação técnica de um inspetor técnico credenciado da ABCCC, o animal participante é conduzido para a pista em que será observado por um veterinário chancelado pela Federação Equestre Internacional (FEI). A pista possui placas que indicam o momento em que devem ser realizados o passo, o trote, o retorno e novamente os movimentos anteriores. Simultaneamente, um outro Crioulo é liberado da avaliação técnica para completar o processo com a Admissão Veterinária, respeitando a ordem de entrada da prova. Por conta disso, a etapa é muito dinâmica: leva cerca de um minuto por equino.

 

O que acontece quando o Delegado Veterinário não considera o animal apto?

Um segundo profissional autorizado pela ABCCC, denominado Veterinário de Atendimento, entra em cena para uma segunda avaliação. Após esse procedimento o cavalo pode ser apresentado para a reinspeção e, com as considerações de ambos especialistas, será reavaliado - podendo ser, ou não, aprovado.

 

Caso o animal não seja admitido, há um prazo limite para tentar a competição em outro evento?

Não. O fato do animal não ser admitido não exclui a possibilidade de inscrição em um próximo evento, até mesmo os que ocorrem na semana seguinte, por exemplo. 

 

Os movimentos indicados nas placas de avaliação são suficientes para identificar possíveis irregularidades?

Sim. Além da percepção de todas as angulações do animal, o movimento executado permite que o veterinário perceba se há sinais de dor, desconforto, ferimento, incômodo ou se está claudicando (mancando) - tudo para preservar a integridade do Cavalo Crioulo competidor.

 

Qual o motivo da implementação da admissão veterinária?

Garantir que todos os animais participantes tenham totais condições de competir. Preservando sempre a saúde do cavalo atleta, tendo como pilar as medidas de Bem-Estar Animal adotadas pela ABCCC. Para isso, a admissão é baseada nos procedimentos da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e espelhada nas medidas da Federação Equestre Internacional (FEI).

 



Redator: Marina Bonati/ABCCC

  • Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos
  • Av. Fernando Osório, 1754 A, bairro Três Vendas
  • CEP: 96055-030, Pelotas/RS
  • Fone: (53) 3284-1450
  • abccc@abccc.com.br