ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Arte manual é prestigiada em 1º Concurso Nacional de Guasqueiros

28 DE SETEMBRO DE 2019 - ATUALIZADA EM 08 DE OUTUBRO DE 2019 | Redator: Pedro Henrique Krüger/ABCCC

O surgimento e a evolução do ser humano estão intimamente ligados ao trabalho manual, que se traduziram em ferramentas essenciais para a própria sobrevivência, assim como despertaram a criatividade intrínseca a homens e mulheres. Surgiram assim os artesãos, que desde então produzem itens que ainda exercem a função fundamental de produzir arte - que é tão essencial como o ar.

Ciente de tal relevância, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) promoveu o 1º Concurso Nacional de Guasqueiros, destinado àquelas pessoas que trabalham com couro cru. Com 11 participantes, oriundos de Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a primeira edição foi realizada entre os dias 27 e 28 de setembro, no Restaurante do Cavalo Crioulo no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS.

As peças em couro foram produzidas somente com mãos e ferramentas para serem avaliadas por Alexandre Pereira da Rosa, Henrique Fagundes da Costa e Felipe Giovenardi. O trio reuniu-se com todas as peças produzidas e definiu, neste sábado (28), os vencedores da primeira edição nacional do concurso. Na categoria Buçal de Luxo, a primeira colocação foi dada a Antônio Carlos Vargas da Silva (Kaio Vargas), de Lages/SC. O artista do couro ainda levou para casa o segundo lugar na categoria Livre Escolha e o prêmio de Peça Destaque.

“O artesanato está no sangue. Meus avós trabalhavam com artesanato e, desde pequeno, sempre gostei de fazer coisas de couro. Meu pai trabalhou com couro e eu, nos tempos vagos, fazia alguma coisa com bruacas para enfeites, bainhas de faca de nó de pinho. Hoje, trabalho profissionalmente há 8 anos”, disse Antônio Carlos que, além dos três troféus, levou juntamente com todos os artesãos um certificado de participação.

Na categoria Buçal de Serviço o primeiro lugar foi dado a Marcos Leobet, da cidade de Ouro/SC. “Comecei a ‘estragar’ meus primeiros couros quanto tinha cerca de 17 anos, movido por dois motivos: primeiro, gostaria de ter arreios e pilchas que fossem de meu agrado e não tinha dinheiro para comprá-los; segundo, devido ao contato corriqueiro com artigos de couro rústicos, do feitio de meu avô e tios-avós. O interesse pelo conhecimento da arte guasqueira aumentou muito, e, naturalmente, foi se tornando profissão”.

O julgamento das peças
De acordo o avaliador Alexandre Pereira da Rosa, uma série de critérios é levado em conta para o julgamento das peças. “Então nós começamos pelo princípio de tudo de cada peça, que é a qualidade da matéria-prima. Então nós tínhamos cinco critérios: matéria-prima, qualidade de aplicação das técnicas, os metais utilizados e a coerência da técnica com a função que ela desempenha na peça”, afirmou.

Conheça o resultado:

Categoria Buçal de Serviço

1º colocado
Marcus Leobet (Ouro/SC)

2º colocado
Jorge Nunes de Ávila (Gravataí/RS)

Categoria Buçal de Luxo

1º colocado
Antônio Carlos Vargas da Silva (Kaio Vargas) (Lages/SC)

2º colocado
John Pitter Carvalho Martins (Ponta Grossa/PR)

Categoria Livre Escolha

1º colocado
Carlos Xavier (Jaguarão/RS)

2º colocado
Antônio Carlos Vargas da Silva (Kaio Vargas) (Lages/SC)

Peça Destaque
Antônio Carlos Vargas da Silva (Kaio Vargas) (Lages/SC)