ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Um dia exclusivo para debater sobre bem-estar animal

10 DE NOVEMBRO DE 2017 - ATUALIZADA EM 10 DE NOVEMBRO DE 2017

Um dia exclusivo para tratar de um assunto que exige cada vez mais atenção quando se trata de tornar os eventos da raça e o tratamento dos animais envolvidos em provas equestres com o selo de qualidade que a ABCCC vem buscando tomar forma, conforme as normas exigidas. Discutir sobre o tema é essencial, ao pensar no patamar que as provas da raça Crioula alcançaram. O 1º Seminário de Bem-estar Animal com foco em provas equestres da raça Crioula, teve como objetivo debater e conscientizar das necessidades de introduzir e reforçar a cultura de bons tratos aos animais, abordando maneiras possíveis para melhorar o manejo desde antes da prova até durante a competição.

 

Estiveram palestrando nesta primeira edição, professores conceituados na área dos equídeos, que de maneira aberta e bilateral agregaram conhecimento neste primeiro encontro realizado pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). O professor da Universidade Federal de Pelotas, Dr. Carlos Nogueira, e o Dr. Henrique Noronha, abriram o encontro e trouxeram temas que salientam práticas de manejo que humanizam o contato e tratamento dos animais, além de exemplificarem bons métodos a serem seguidos utilizados em outras raças.  

 

Também fizeram parte da bancada de apresentações, os representantes do MAPA e da CRMV/RS, respectivamente, Luiz Otávio Silveira e Mateus Lange, que destacaram pontos importantes para ABCCC e profissionais da área compostos no manual de Bem – estar Animal de cada entidade representada. Além disso, o gerente do setor de Eventos, Ibsen Votto, apresentou as ações que a ABCCC já vem colocando em prática em prol dos cuidados de todos os animais envolvidos nas provas realizadas pela Associação.

 

Tão importante quanto o que, é quem está debatendo sobre o assunto. Nessa linha, o público-alvo do seminário foram técnicos da ABCCC, que cumprem o papel de entrada nos criatórios e disseminam o direcionamento dado pela Associação na criação e profissionais da área, com abertura para o público geral interessado.

 

Para Nogueira, as questões de boas práticas em eqüideocultura não é um tema novo mas é importante, e com essa demanda social é necessário trazer o tema e apresentar outros que podem ser rotina para alguns mas novidade para outros. “A discussão que nós queremos trazer é direcionado para as pessoas que trabalham com o cavalo, trazendo pontos importantes dessa relação (ser humano e cavalo), do treinamento ao destino final dos que praticam esporte, mas com foco na pratica diária. Salientar os cuidados, a necessidade de interação com outros animas, alimentação e espaço adequado enfim, toda uma relação que ainda precisa avançar”, destaca Nogueira.

 

Para Noronha, a parte conceitual é um princípio para discutir sobre o Bem-estar Animal, pois é um assunto que não tem volta, uma tendência e que está em voga dentro da raça. “É preciso conceituar o que é Bem-Estar, o que são maus tratos e o que são situações onde a raça já avançou e onde pode alcançar novos espaços. Temos que partir de uma base e os conceitos servem para isso”, saliente Noronha.

 

A partir das discussões durante esse primeiro encontro, surgiram ideias e novos objetivos em prol da melhoria nos eventos da raça. Estes serão debatidos junto a Diretoria e Conselhos para aprovação.