ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Final Nacional da Paleteada define os melhores do ciclo

31 DE AGOSTO DE 2017 - ATUALIZADA EM 31 DE AGOSTO DE 2017 | Redator: Karen Nunes/ABCCC

Não é fácil chegar à final nacional de uma das modalidades que mais cresce no número de adeptos. As duplas que estiveram hoje, 31 de agosto, no maior palco da raça Crioula, mostraram porque elas podem ser consideradas as melhores do ciclo. Paixão, parceria, funcionalidade e aptidão vaqueira, foram quesitos vistos em pista em mais uma prova que acentua as qualidades funcionais da raça, levando a dupla Rodrigo Rivero montando Camb Lança 311 e Guinter de Quadros montando Camb Lança 376 ao lugar mais alto do pódio.

 

Durante um ano, 2784 animais passaram pelas 52 disputas e as duas classificatórias que trouxeram as duplas até a pista do Cavalo Crioulo, em Esteio/RS, em busca do título máximo da modalidade. Para quem é apaixonado pela prova, mais uma final vibrante foi apresentada para quem esteve presente nas arquibancadas da raça Crioula, na 40ª Expointer.

 

Vencedores do ciclo

Três fases desafiaram e definiram os campeões. O gado não facilitou para nenhuma dupla, o que tornou a prova ainda mais desafiadora até mesmo para aqueles experientes na modalidade. Quem conseguiu superar todos os desafios e conquistou o primeiro lugar, foi a dupla de Rodrigo Rivero montando Camb Lança 311 e Guinter de Quadros montando Camb Lança 376.

 

Para Rivero, foi a sexta final competindo, mas até então a melhor colocação alcançada havia sido terceiro lugar. “Eu trabalho o ano inteiro para tentar chegar na final e isso para mim é a minha vida”, conta Quadros emocionado com a conquista. Já o ginete Guinter de Quadros, há mais de 10 anos cparticipa da decisão da Paleteada. Seus dois méritos mais importantes alcançados anteriormente haviam sido o segundo e o terceiro lugar da modalidade. Como ele mesmo definiu, “criado no lombo do cavalo”, o ginete entende o valor da conquista pois a prova está cada vez mais rígida em virtude da qualidade dos competidores e dos animais em prova. “Para mim, esse prêmio é tudo. Fico sem palavras para definir o momento, a emoção é grande”, finaliza. A dupla se classificou na semifinal de Rio Grande/RS. 

 

O pódio foi completado pela segunda melhor dupla composta por Juan Salustiano Peirano montando Pacifica Pareja e Gabriel Marty montando Pacifica Taba, dupla campeã do Uruguai, e a terceira colocação formada por Edson Oliveira da Rosa montando Vacaria do Itapororó e Aluizio Perez montando Valete do Inhanduvá. Os jurados ainda escolheram a égua Campana Quitanda, como Selo de Raça da competição e entregaram o troféu Cavalo Paleteador para a égua Pacifica Taba. Além disso, as cinco duplas melhores colocadas estão automaticamente classificadas para disputar a Paleteada da FICCC em 2018.

 

A listagem completa com as colocações finais das duplas, confira AQUI.

 

A decisão da temporada foi julgada por Leandro Amaral e Thiago Schilling de Ávila. Para Amaral, a modalidade é uma das que mais cresceu em quantidade e qualidade dos conjuntos. “Nós tivemos aqui os melhores paleteadores do ano, com várias alternâncias nas posições e isso comprova que todos tinham chance para vencer. E a dupla que venceu, ganhou no detalhe, com diferença mínima de pontuação”, salienta. Segundo Ávila, foi uma prova de excelente nível o que cumpre a expectativa que é esperada para a final da Paleteada. ”Muitos ginetes experientes e outros novos de alto nível com animais de qualidade, o que tornou a disputa muito competitiva”, completa.

 

Confira o resultado:

1º lugar

Rodrigo Rivero montando Camb Lança 311 e Guinter de Quadros montando Camb Lança 376

 

2º lugar

Juan Salustiano Peirano montando Pacifica Pareja e Gabriel Marty montando Pacifica Taba

 

3º lugar

Edson Oliveira da Rosa montando Vacaria do Itapororó e Aluizio Perez montando Valete do Inhanduvá

 

A listagem completa com as colocações finais das duplas, confira AQUI.